Tainacan compõe programação em um dos maiores eventos de software livre do mundo

A equipe de pesquisa e desenvolvimento do software livre Tainacan irá participar da programação da 18ª edição do Fórum Internacional Software Livre (FISL) que acontecerá entre os dias  11 e 14 de julho em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

O FISL 18 é um dos maiores encontros de comunidades de Software Livre do mundo. Com tema “a tecnologia que liberta”, promove debates sobre a manutenção da transparência na tecnologia “seja nos códigos, nos padrões abertos, no compartilhamento de conhecimento”, e na luta pela internet livre e neutra.

A equipe irá participar principalmente da programação do GT de Cultura, que pode ser consultada neste link.

Abaixo, a descrição das palestras propostas e aprovadas pelo temário do evento:

Palestra: Tainacan – software livre brazuca para a criação de acervos digitais

Dia 12 às 15:00 na sala Sala 6 (60 minutos)

Palestrantes: Fabs Balvedi, Leo Germani, Mateus Luna

Trilha: Ciência de dados

Descrição: Esta palestra tem o objetivo de apresentar o Tainacan, software livre para criação e gestão de acervos digitalizados, desenvolvido pelo Laboratório de Políticas Públicas Participativas (L3P) em parceria com o Media Lab da Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente opera integrado à plataforma WordPress com o objetivo de facilitar o uso, a gestão e a customização de repositórios digitais. Para além disso, as pesquisas que balizaram o desenvolvimento dessa ferramenta indicaram a necessidade de serem Implementadas dinâmicas de participação social e estímulo a inteligência coletiva na gestão dos acervos em rede, permitindo novas formas de inclusão dos usuários e nos novos modos de gestão participativa. Dessa maneira, o Tainacan procura incorporar todas as potencialidades que a cultura digital atualmente oferece como avanço para o campo da ciência da informação, como a possibilidade de colaboração e a interconexão entre acervos através da web semântica.

Oficina: Tainacan – crie e gerencie seu acervo digital facim facim

Dia 14 às 12:00 na sala Sala 7 (120 minutos)

Palestrantes: Fabs Balvedi, Leo Germani, Joyce Siqueira, Mateus Luna

Trilha: Acervos livres

Descrição: A oficina de criação e gestão de acervos digitais com o plugin e o tema Tainacan irá propor atividades práticas que ambientam os participantes na ferramenta:  explorando a criação e concepção das coleções para a organização dos acervos; a configuração de metadados a partir do contato com diferentes padrões de documentação; as várias possibilidades de exibição do acervo a partir da configuração de filtros e visualizações; e o uso do Tainacan como ferramenta avançada na gestão de acervos digitais, integrada ao WordPress para publicação e difusão de conteúdo na web. No final da oficina os participantes terão uma pequena coleção de itens criada e personalizada de acordo com as próprias especificidades do acervo, tendo experimentado a ferramenta e compartilhado sua experiência de uso com os demais participantes.

A equipe também irá apresentar uma oficina sobre o software livre Mapas Culturais, também em desenvolvimento no Laboratório de Políticas Públicas Participativas:

Oficina: Mapas Culturais – Plataforma colaborativa para gestão cultural

Dia 14 às 10:00 na sala Sala 7 (120 minutos)

Palestrantes: Fabs Balvedi, Leo Germani

Trilha: Produção cultural colaborativa

Descrição: O objetivo dessa oficina é apresentar e orientar o uso do Mapa da Cultura, espaço criado para integrar e dar visibilidade para projetos, artistas, espaços, eventos culturais e seus produtores. Constitui uma união de esforços do Ministério da Cultura para integrar os sistemas de informação de estados e de municípios e, mais do que isso, na consolidação de seus sistemas de informações e indicadores culturais.

O software livre Mapas Culturais é um projeto lançado em 2013 pelo Ministério da Cultura do Brasil a partir de uma parceria entre o poder público e o Instituto TIM e atualmente em parceria com a Universidade Federal de Goiás, o projeto busca envolver órgãos públicos, indivíduos e grupos numa dinâmica de alimentação de informações que sirvam, ao mesmo tempo, aos cidadãos, aos produtores culturais e aos gestores, num processo que pode potencializar tanto a divulgação como a eficiência das iniciativas culturais das localidades mapeadas.

A pesquisadora Fabs Balvedi também participa do Painel sobre Hackerfeminismo no dia 12/07 às 11:00 na sala Sala 2 (60 minutos).

A programação completa do evento pode ser acessada na agenda oficial do FISL 18.

 http://fisl.softwarelivre.org/