Tainacan no IV SEBRAMUS

Na última semana tivemos um dos eventos mais importantes do campo museológico, o SEBRAMUS – Seminário Brasileiro de Museologia. Neste ano, a quarta edição do evento, que aconteceu em Brasília entre os dias 29 de julho e 1º de agosto, foi organizada pelo Curso de Museologia da UnB e trouxe como proposta de debate “Democracia: desafios para a universidade e para a museologia”.

No contexto atual de transformações políticas e sociais, o tema proposto para o IV SEBRAMUS construiu boas oportunidades de discussão e reflexão ao longo do evento no sentido de compreender e buscar caminhos para os desafios encontrados no campo museológico e, também, formas de apropriação das oportunidades que vêm surgindo, sobretudo no contexto da cultura digital.

Entendendo o valor do evento como espaço de debates e trocas de experiências científicas, a equipe Tainacan fez parte da programação ao logo dos dias. No GT 5, que abordou o tema Museologia, Patrimônio e Tecnologia em Espaços Expandidos, tivemos a apresentação de dois trabalhos, “Tainacan: Software Livre para Gestão de Acervos Culturais Digitais”, apresentado pela pesquisadora Danielle do Carmo e, também, a apresentação da pesquisadora Joyce Siqueira, abordando “Tesauros para Acervos do Patrimônio Cultural: Panorama e Características”. Ainda, no GT 13, que tem como tema a discussão Educação e Comunicação em Tempos de Trânsito: transformações e impactos sociais, a pesquisadora Luciana Martins falou sobre o uso das tecnologias digitais na construção das práticas educacionais museais. Os resumos das apresentações orais podem ser consultados aqui: http://www.sebramusrepositorio.unb.br/index.php/4sebramus/4sebramus/schedConf/presentations

Além dos Grupos de Trabalho, a equipe Tainacan participou do Encontro da Rede de Educadores em Museus do Brasil – REM, que teve como tema a organização do encontro nacional de educação museal.

Na Mesa III – Cibermuseologia, Direitos Humanos e Democracia, o pesquisador José Murilo Costa Carvalho Júnior do Instituto Brasileiro de Museus – Ibram, trouxe o debate sobre instituições de memória e acervos em rede, abordando como o estado pode refletir a sua inserção no universo digital.

Ele também abordou a parceria do Ibram com a Universidade Federal de Goiás no desenvolvimento da solução Tainacan e como o projeto tem se construído como política pública e vêm sendo implementado em museus vinculados ao Ibram. Também debateu sobre o processo de publicação desses acervos museais na rede e o efeito dessas ações para os profissionais e especialistas da área.

José Murilo também mencionou o fato de que apenas 10% dos mais de três mil museus nacionais possuem informações de seus acervos em meio digital, dado que nos mostra a importância de se pensar políticas públicas que viabilizem ações em direção a transformação desse cenário de modo a incluir as instituições de memória no contexto da cultura digital.

A fala do pesquisador José Murilo, assim como dos demais palestrantes do evento, pode ser acessada através do link: http://abre.ai/ivsebramus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *